Home > ADVILLAGE > Imprensa da Noruega repercute "reação brusca" de Bolsonaro

ADVILLAGE

16/08/2019 08:19 por Advillage

Imprensa da Noruega repercute "reação brusca" de Bolsonaro

Jornal de negócios norueguês reproduz diversas falas do presidente brasileiro sobre bloqueio de recursos à proteção da Amazônia

O jornal norueguês Dagens Næringsliv, especializado em notícias sobre negócios, deu destaque hoje (16) à reação do presidente Jair Bolsonaro sobre o bloqueio de € 30 milhões da Noruega em subvenções destinadas à proteção da Amazônia. O título da reportagem traz aspas do brasileiro: “Noruega não é o país que mata baleias no Polo Norte? Eles não têm nada para nos ensinar”.

A matéria explica que o corte de recursos “é uma forte reação das autoridades norueguesas ao fato de que o Brasil está permitindo cada vez mais devastar a floresta amazônica, enquanto a cooperação no Fundo Amazônia quase desmorona. O Brasil perderá cerca de 300 milhões de coroas norueguesas”. A matéria reproduz outro trecho da fala de Bolsonaro: “Pegue o dinheiro e ajude Angela Merkel a plantar florestas na Alemanha”.

O jornal econômico de Oslo assinala que a decisão das autoridades norueguesas ocorreu poucos dias depois de a Alemanha, que em conjunto com a Noruega financia quase todo o Fundo Amazônia, anunciar um corte semelhante. Mesmo assim, Bolsonaro afirmou que a Alemanha deveria gastar o dinheiro em sua própria floresta, diz a reportagem, com mais uma fala do presidente brasileiro: "Como se a Alemanha fosse pioneira na questão da proteção florestal, ou na produção de energia limpa".

Dando crédito à imprensa brasileira, o Dagens Næringsliv traz mais aspas de Bolsonaro: “Eles não se importam com a floresta amazônica, querem poder e dinheiro”.

Acesse a reportagem do jornal norueguês aqui.

O imbróglio

A Rádio França Internacional também abordou o assunto, explicando que bloqueio norueguês teve como justificativa a ausência de vontade do governo brasileiro de interromper o desmatamento. O rico país escandinavo critica o Brasil por ter “rompido o acordo” com os doadores do Fundo Amazônia, para o qual Oslo já transferiu cerca de € 828 milhões desde a sua criação, em 2008.

Citando a imprensa norueguesa, a RFI reproduz declarações do ministro do Meio Ambiente e do Clima, Ola Elvestuen. “O Brasil quebrou o pacto com a Noruega e com a Alemanha desde que suspendeu o conselho de administração e o comitê técnico do Fundo Amazônia. Eles não podem fazer algo assim sem que a Noruega ou a Alemanha estejam de acordo”.

As doações anuais norueguesas dependem dos resultados obtidos na luta contra o desmatamento, calculados por um comitê técnico.

Berlim bloqueou € 35 milhões

O governo alemão fez um anúncio parecido no sábado (10). Berlim decidiu bloquear € 35 milhões, até que os dados sobre o desmatamento voltem a mostrar um recuo.

"A política do governo brasileiro para a Amazônia gera dúvidas sobre a continuação de uma redução sustentável do índice de desmatamento", declarou ao jornal alemão Tagesspiegel a ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze. A primeira etapa de cortes consiste em bloquear um subsídio de € 35 milhões de Berlim para projetos de preservação da floresta e da biodiversidade brasileira, até que as cifras voltem a ser animadoras, assinala o jornal.

De 2008 a 2019, o governo alemão liberou um total de € 95 milhões para diferentes projetos de proteção ambiental no Brasil. A RFI assinalas que Berlim continuará contribuindo para o Fundo Amazônia.

Siga-nos no Twitter

'
Enviando